Inês Gonçalves -Acho que aprender a tabuada é como andar de bicicleta!
Publicado a 24 de Março de 2012

Entrevista a Inês Gonçalves - Jornalista de desporto da RTP

     

 

A jornalista Inês Gonçalves é a convidada do mês de Abril do Clube SPM. Natural de Celorico de Basto, iniciou a sua actividade profissional na televisão do Porto NTV. Actualmente é jornalista da RTP, onde apresenta o programa "Liga dos Campeões" desde 2006. Com o tempo que lhe sobra, nos seus tempos livres, dedica-se à família, gosta de dançar e de correr.  

É caso para dizer, para onde corre Inês Gonçalves? Veremos a seguir nesta entrevista...


O que nos pode contar da sua infância?

Foi uma infância muito feliz e animada pelo convívio constante com as minhas primas, com o meu irmão, que entretanto nasceu ... e com toda a família! As viagens entre o  Porto e Celorico de Basto eram habituais. É lá que ainda hoje mora grande parte da família. As festas e as férias grandes de verão só faziam sentido lá! As brincadeiras com os meus pais, os passeios, os meus aniversários, o gosto da minha família pela cozinha e pelo convívio são memórias fantásticas.

 

Como era a Inês com 10 anos de idade na escola.

Era uma Inês mais envergonhada e mais tímida. Recordo-me que era empenhada mas que não me oferecia para falar em público, para apresentar trabalhos, para ir ao quadro ou para ler alto. A minha timidez  só foi passando com os anos...  e passou de tal forma que me tornei jornalista!  

 

Gostava de matemática na escola? Que conteúdos mais gostava?

Os conteúdos ligados às letras sempre foram os meus preferidos. Na escola sentia algum distanciamento em relação à matemática.

 

Lembra-se de algum momento especial que a matemática a tenha marcado?

Não recordo nenhum momento concreto em que a matemática me tenha marcado mas tenho algumas memórias associadas a esta disciplina. Houve momentos em que a matemática captava a minha atenção mais do que eu esperava e ficava surpreendida com isso. Ficava contente por perceber que, de vez em quando, a matemática me cativava.

 

 Ainda sabe a tabuada?

Acho que aprender a tabuada é como andar de bicicleta! Já não se esquece! Mas há outra verdade ... andar de bicicleta é normal para mim. Usar a tabuada não!

 

Em que liga jogava na disciplina de matemática...na dos campeões?

A história, o português, a educação física ... eram a minha liga dos campeões.

 

Lembra-se como e quando equacionou ser jornalista?

O mundo das notícias e dos jornais sempre esteve muito presente na minha infância.  Os jornais, as notícias na televisão, a RTP ... faziam parte do dia a dia dos meus pais. E esta foi provavelmente a grande influência. Depois fui crescendo e o interesse por ler e por me manter informada também foi crescendo ... e na escola secundária já tinha a certeza do que queria ser.

 

Iniciou-se na NTV. Tem saudades desses tempos?

Sim, tenho saudades do espírito daquele grupo! Era um grupo muito especial! Não vivo agarrada ao passado....acredito que devemos aproveitar o presente ....mas nunca vou esquecer o que foi a NTV.

 

É a cara da RTP do programa Liga dos Campeões? É uma grande responsabilidade...

É uma grande responsabilidade,  é um privilégio, é um orgulho e é a concretização de um sonho!

 
O mais positivo na sua profissão é...e o menos.

O mais positivo é fazer o que gosto, é estar no centro dos acontecimentos, dos eventos, de ter a oportunidade de ver tudo, ou quase tudo, em directo. A pressão e a adrenalina da actualidade são desafios constante. Funcionam como uma espécie de motivação extra. É muito compensador sentir que estamos a informar, a esclarecer! O menos positivo são os horários irregulares que roubam tempo à família e aos amigos. Por vezes estes horários irregulares obrigam-nos a falhar datas importantes na nossa vida pessoal. O segredo é compensar e aproveitar da melhor forma todos os momentos que temos para estar com eles.

 

Como está o desporto na RTP?

O desporto na RTP sempre foi uma referência. Foi assim no passado e vai continuar a ser. A informação desportiva não se resume ao futebol nem apenas aos clubes grandes. Na RTP há espaço para falar de todas as modalidades, dos pequenos e dos grandes eventos e isso faz toda a diferença.

 

E o futebol em Portugal?

Tal como o país o futebol também está a passar por dificuldades mas também por várias mudanças. As recentes alterações na Federação Portuguesa de Futebol e na Liga de Clubes mostram que há um novo caminho que se quer traçar.

 

A RTP vai ser sempre o primeiro…

Vai ser sempre o meu primeiro encanto profissional! Vai ser sempre o meu sonho tornado realidade! Mas será, com toda a certeza, muito mais que isso! Vai continuar a ser o serviço público de televisão feito com rigor e por pessoas empenhadas. Vai continuar a mostrar o que acontece nas grandes cidades, no mundo mas também nas terras mais pequenas do interior do país.