Linhas e Pontos por Carlos Marinho
Clube de Matemática SPM - Eixos de Opinião janeiro de 2017
Publicado a 10 de Janeiro de 2017



 

Este espaço vai ser dedicado a aspectos simples da vida em contexto real, em que a matemática pode entrar como elemento surpresa. Em síntese, estas "linhas" terão como base "pontos" comuns da nossa vida, em que a objectividade da Matemática pode fazer compreender alguns "problemas" que vão surgindo em contexto real. Como afirmou Pitágoras, "Todas as coisas são números". Nesta rubrica tudo cabe... até a matemática.                             

   

Carlos Marinho -  Professor de Matemática                               



Linhas e Pontos por Carlos Marinho - 2017 é prim(eir)o

Clube de Matemática SPM - Eixos de Opinião janeiro de 2017 

 

Clube de Matemática SPM

Facebook Clube SPM

Título: 2017 é prim(eir)o

O ano de 2017 é primo. É o primo 306. O último ano primo foi em 2011. Só teremos um novo ano primo no ano 2027. Um número primo é um número que tem apenas dois divisores, a unidade e ele próprio. 


Mas 2017 deveria também ser composto. Composto de um ensino com mais qualidade, onde todos os intervenientes e profissionais pudessem desempenhar as suas funções sem divisões.


Os problemas atuais em contexto de sala de aula nas escolas cresceram por várias razões, mas duas serão evidentes. Por um lado, o aumento generalizado da indisciplina, por outro, a não diminuição do número de alunos por sala de aula. Chegou a altura desse mesmo número decrescer, ser repensado, principalmente na disciplina de matemática. 


Em 2005 fiz um trabalho de investigação com o patrocínio do Ministério de Educação com algumas conclusões interessantes. Uma das questões colocadas era: quando o diretor de turma telefona ao encarregado de educação qual será a primeira razão? 89% dos encarregados de educação responderam que o que pensam é que existem problemas de comportamento com o seu educando. Eu pergunto, porque será? A resposta parece não ser difícil de concluir. Provavelmente a escola através do agente educativo privilegiado, o diretor de turma, não ganhou a confiança dos pais antes dos problemas acontecerem. Então a solução pode ser mais simples do que parece; podemos aproveitar a sugestão de Marinus Lima, quando refere que o tempo gasto na preparação é tempo ganho mais adiante na apresentação dos resultados. Temos de preparar melhor os momentos de conflito que existem nas escolas. Na educação temos que arrepiar caminho, as melhores soluções para os problemas mais difíceis devem ser feitas por todos. 


Um dos filmes de desenhos animados que mais gostei foi o do Zé Colmeia. A certa altura, surge um momento difícil no filme onde é necessário salvar uma tartaruga em vias de extinção. Ela estava num cesto quase a cair nas mãos perigosas dos que queriam destruir o parque natural. O nosso personagem tem uma ideia trapalhona que envolvia a sua obra prima, o seu avião apanha cestos. Então grita ao seu amigo Catatau dizendo: 
- Vamos Catatau, vamos salvar a tartaruga! 
- Mas Zé Colmeia, achas que consegues? 
- Claro que consigo! E tu vais ser o meu co-piloto. 
- Mas Zé, eu não sei pilotar esta coisa!
- Não faz mal, aprendes pelo caminho. Começa a pedalar. Põe o cinto!
- Mas Zé, esta coisa não tem cinto...


Estamos num desenho animado e, tudo correu bem nesta hilariante cena de um filme fabuloso. No ensino, com tanta investigação já realizada deveria existir um conjunto de boas práticas que se pudessem generalizar por todas as escolas em detrimento de uma anarquia de soluções inventadas no momento fazendo inveja ao Zé Colmeia e ao Catatau.


2017 é primo e deve ser primeiro. Pelo menos devemos dar um primeiro passo na realização de um conjunto de práticas positivas que possam ser feitas por todos.


Poderemos dizer então nessa altura que 2017 é prim(eir)o.