Entrevista Clube de Matemática SPM - João Fernando Ramos - Jornalista
Publicado a 01 de Janeiro de 2012

Entrevista a João Fernando Ramos – Jornalista da RTP


 

João Fernando Ramos nasceu na Lousã há 46 anos. Jornalista da RTP,  coordenador de uma equipa fabulosa do Jornal da Tarde tem a missão diária de levar a milhões de portugueses as melhores notícias com a qualidade da televisão pública. Numa altura que se fala muito de serviço público, a RTP é tudo e faz parte do todo, como disse Pitágoras em relação à matemática "Tudo são números". A RTP representa uma parte do mundo onde se movimentam pessoas, vidas, emoções, histórias, recordações que não se apagam onde ninguém pode ser indiferente. A preto e branco ou a cores a memória do passado da RTP estará sempre presente no futuro de todos nós. 

Hoje a notícia de abertura é a entrevista com João Fernando Ramos...


O que nos pode contar da sua infância?

Foi uma infância feliz, numa vila linda chamada Lousã. A escola estava sempre presente. Sou filho de dois professores do ensino básico que sempre me souberam ensinar a importância da matemática.


Gostava de matemática na escola? Que conteúdos matemáticos mais gostava?

Não é a minha disciplina favorita.


Lembra-se de algum momento especial que a matemática o tenha marcado?

As duras lições de tabuada, que tínhamos que saber de cor e salteada, sem ajuda de máquinas…


Já explicou matemática aos seus filhos em casa?

Sim. Faz parte da vida de pai estudar em conjunto com os filhos, mas essa tarefa é mais desempenhada pela mãe, quando se trata de matemática. Eu ensino letras e disciplinas mais técnicas ligadas à informática.


É um pai atento à  educação em geral/matemática dos seus filhos?

Sou. É fundamental percebermos as dificuldades para rapidamente se encontrarem soluções.


Lembra-se como e quando equacionou ser jornalista?

Logo desde pequenino quando fazia relatos de jogos de Rugby da janela do meu quarto.


Coordena e apresenta o Jornal da Tarde. É uma grande responsabilidade pilotar este bólide (Jornal da Tarde)?

É uma responsabilidade enorme que partilho com uma equipa fabulosa. Em televisão nada valemos se não fizermos parte de  um grupo de trabalho dedicado e competente.


Conte-nos 24 horas de um dos seus dias mais problemáticos ao nível do trabalho...

Os meus dias começam cedo, com as notícias das rádios, o apoio as filhos na ida para a escola e a chegada à RTP por volta das sete e meia da manhã. Depois a preparação do Jornal e as tarefas de gestão e organização da redação. O regresso a casa é só ao fim da tarde, muitas vezes para atender umas dezenas de telefonemas até à hora de dormir.


Existe um ramo da matemática recente (apenas 400 anos) que é estatística que o João e a sua equipa analisam diariamente…

Sim. Medimos o desempenho do nosso trabalho recorrendo a ferramentas da estatística. Temos que comparar, perceber onde estamos mais fracos para nos renovarmos fortalecendo cada momento do nosso trabalho.


É apaixonado por automobilismo. Ganhou o jornalismo e/ou perdeu-se um bom piloto?

Sou um piloto amador, dedicado, mas amador. Sou jornalista por paixão e opção.


Para um jornalista que gosta de pilotar cobrir o Lisboa-Dakar deve ser experiência única?

Sem dúvida. Foi uma experiência gratificante, mas muito dura. Espero voltar ao Dakar quando ele regressar a África, mas agora como piloto.


A RTP contínua a ser um pilar e uma referência no nosso País?

É um pilar fundamental na regulação de um sector sensível. Sem um serviço público interveniente e com audiência a qualidade da democracia pode deteriorar-se. O que aconteceu recentemente em Inglaterra, com Jornais envolvidos em esquemas de escutas ilegais e compra de fontes é um alerta sério. Sem a BBC esse caso nunca teria sido denunciado porque os interesses económicos envolvidos nunca o permitiriam.


A RTP é serviço público e a matemática é…

A base que nos permite avançar. Um mais um, mais um, mais um…temos que saber somar.


A RTP é e será…

Uma grande escola, que espero que se saiba reformar e reforçar.